Risco Basemóvel Livro, 2019

MARP- Ribeirão Preto, SP

A exposição Risco Basemóvel Livro faz parte do projeto de residência da Biblioteca Pedro Manuel-Gismondi realizada no período de 2017 - 2019

Participação de Vitor Cesar (Fortaleza -CE | Vive e trabalha em São Paulo -SP) com a colaboração de Simone Moraes e Guilherme Pardini (Botucatu -SP | Vive e trabalha em São Paulo -SP)

Curadoria de Galciani Neves

Esta exposição ativou a Biblioteca Leopoldo Lima do MARP, disponibilizando uma seleção de suas publicações na base-móvel, que permaneceu no espaço expositivo do museu e também foi deslocada até a Praça Carlos Gomes, em frente ao MARP.

“Base-móvel” é um projeto que já vem sendo desenvolvido pelo artista Vitor Cesar desde 2002, sempre em parceria com instituições e outros artistas e chegou em Ribeirão Preto para propor diálogos e interações com narrativas presentes em livros.

Risco base móvel livro é a oitava BaseMóvel e foi elaborada por Vitor Cesar em parceria com Simone Moraes, Guilherme Pardini e o MARP- Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi (Secretaria Municipal da Cultura/ Prefeitura de Ribeirão Preto). O desenho partiu de um convite da artista Simone Moraes: “como expandir o acesso aos livros das bibliotecas do museu?”. Simone Moraes, em residência artística no MARP, desde 2017, vem desenvolvendo ações que dialogam com o processo de higienização e conservação das 3 mil obras da biblioteca de Pedro Manuel-Gismondi, doada ao museu em 2007. Há dois anos a artista adentra o universo desses livros e mescla procedimentos poéticos entre a biblioteca e as artes visuais. É dessas ações que surge a vontade de intensificar a ideia de quer os livros são lugares de convívio. Esse contexto fez reverberar uma trama de percepções acerca do imaginário que ronda o livro: a importância dos livros em nosso cotidiano e o peso do conhecimento depositado nos livros.

[...]

Como dar visibilidade a livros? Como reunir um conjunto de livros e levá-los para fora de suas estantes? Como pensar na relação entre livros, seus conteúdos e o próprio espaço de acesso a eles? Qual a natureza do gesto de escolha de um livro em uma estante? Essas perguntas contribuíram para o desenho desta BaseMóvel, dando sentido a essas questões, sem, para tanto, solucioná-las. Assim, risco base móvel livro¹ parece uma espécie de cama instável, “na qual as palavras se acomodam. E a BaseMóvel as leva para sair, como se as espalhassem-no vento em busca de outros corpos. A BaseMóvel abre os livros à luz do sol, ao toque, transformando o livro também em um espaço”, como explica Simone Mores.

Galciani Neves

Curadora

¹ Diferentemente de outros projetos de Bases, risco base móvel livro é constituída por uma estrutura pronta – um carrinho com capacidade para suportar o peso dos livros que vão ganhar outros espaços.