Mais detalhes sobre o trabalho Herbário no link: https://www.simonemoraes.net/herbario

Other books / Otros Libros Exhibición Internacional de Libros de Artista, 2021

HOTEL DADA base de arte

Buenos Aires, AR

Outros artistas participantes: Débora Daich, Pepa Busqué Rosich y Ferran Destemple, Silvio de Gracia, Lucas di Pascuale, Luc Fierens, Julio Flores, Picasso Gaglione, John Hel, Rubén Américo Liggera, Pascuale Luongo, Ruggero Maggi Norberto José Martínez, Hugo Oscar Masoero, Daniela Mastrandrea, Ana Montenegro, Jürgen O. Olbrich, Michael Orr, Hilda Paz, Nilda Rosemberg, Malvina Sammarone, Daniel Sarobe, Alejandro Thornton, Titac Patrizia, Silvina Torviso, Roma Vaquero Díaz

Curadoria de Silvio de Gracia

 Existem vários tipos de livro de artista, considerando os formatos, os suportes, os temas do objeto resultante, mas postular tais demarcações é incorrer em um fechamento, um fechamento, quando a realidade é que nos deparamos com um campo aberto e irrestrito em todas as formas de experimentação. No entanto, três procedimentos básicos que enquadram a produção de um livro de artista podem ser identificados: a transformação plástica de um livro pré-existente; criando o objeto de livro do zero; e a edição por editora, desde que todos os aspectos gráficos, visuais e conceituais fiquem sob controle direto do artista.
Em qualquer de suas variantes, o que define o significado de um livro de artista não é sua materialidade ou sua novidade formal, mas o quanto essa obra se configura como encarnação e exibição da visão e dos significados que o autor tenta propagar. O livro de artista, mais do que um objeto, é um dispositivo conceitual, uma linguagem que exige de seu criador uma intervenção que se afaste da dimensão puramente objetual para entrar no campo muito mais arriscado do tráfego dos sentidos.
Cada livro de artista cria suas condições específicas de leitura. A presença do texto escrito pode ou não ser um dos elementos de sua estrutura. A hibridização dos signos exige uma multiplicidade de modos de leitura. No processo de apreensão e compreensão da obra, o receptor se mobiliza e olha para o limiar de um território de relações imprevistas, discordantes, inusitadas, que só ganham sentido em uma estrutura singular.
Esta exposição oferece ao espectador uma abordagem de um panorama amplo, que inclui livros-objeto como os de Hugo Oscar Masoero e Daniel Sarobe; livros de formatos incomuns, como os de Patrizia Tictac; livros com forte elaboração plástica, como os de Hilda Paz, Luc Fierens e Pascuale Luongo; livros na encruzilhada entre o visual e o literário, como os de Rubén Américo Liggera e Alejandro Thornton; livros produzidos por editoras profissionais, como os de Lucas Di Pascuale e Michael Orr; livros em diferentes mídias, como os de Nilda Rosemberg e Débora Daich; livros concebidos com os procedimentos característicos da arte postal, como o livro de selos de John Held, ou os de Picasso Gaglione e Ruggero Maggi; e livros conceituais como os de Jürgen O. Olbrich ou Ferran Destemple.
Fora das categorias ou rótulos, são propostas que operam como veículos de discursividades laterais, insubordinadas aos ditos exaustivos e condicionantes da literatura e da linguagem cotidiana, e que de seu hibridismo transbordante nos convidam a outras leituras que nos incomodam e nos desafiamos. ressonâncias inesgotáveis.

Silvio De Gracia

Curador