Pele

Coleção das cascas de uma figueira centenária 

Dimensões variáveis

2016-2018 

Pele é uma ação de coleta das cascas de uma árvore centenária, em seu processo de morte. Árvore essa, aliás, que presenciou muitas memórias afetivas. Em rituais, foi acolhido cada pedacinho de casca, que foi se despregando do tronco da figueira. Pedaços ainda com vida, habitados por micro-organismos que se acumularam ao longo de anos na árvore e que foram se transformando como uma escrita, constituindo também um grande desenho. Nesse processo de escuta do silêncio do ato de morte, observei o tempo, a vida e o morrer. Como sempre que manuseado, o trabalho se deteriora um pouco, e os fragmentos dessas “peles” que se desprendem são guardados em um vidro. O trabalho se desenha de maneiras diferentes com intuito de dialogar com a arquitetura que o acolhe.


 

----

POR UM SOPRO DE FÚRIA E ESPERANÇA: Uma declaração de emergência climática

MuBE – Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia, São Paulo (SP)

Curadoria: Galciani Neves e Natalie Unterstell

2021-2022

Desabrochar de um modo ou de outro

Palacete 1922 (Jorge Lobato), Ribeirão Preto (SP)

Projeto realizado em parceria com Museu de Arte Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi

Curadoria: Galciani Neves

Curadoria de programas públicos e do projeto educativo: Valquiria Prates

2018